Género e nação

Mardi 18 mars 2014, 11h, Institut Hispanique, salle 21


Prof. Cláudia Maia, Univ. Unimontes (Brésil) :

« Gênero e nação : reflexões a partir da literatura e da crítica feminista »

Apresentação da conferencista

Professora e pesquisadora do Departamento de História e dos Mestrados em História e Estudos Literários da Universidade Estadual de Montes Claros – Brasil. Realiza pós-doutoramento sob supervisão da profa. Dra. Armanda Manguito Bouzy (Université de Nice Sophia Antípoles) e prof. Dr. Manuel Lisboa (Universidade Nova de Lisboa). Doutora em História pela Universidade de Brasília, sob orientação da profa. Dra. Rita Segato, com período de estágio na École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS), sob orientação da profa. Dra. Marion Aubrée.
É autora dos livros Lugar e Trecho : gênero, migrações e reciprocidade no Jequitinhonha (2002) ; A invenção da solteirona : conjugalidade moderna e terror moral (2011) ; e organizadora do livro Mulheres, violência e justiça no norte de Minas (2012).
Dedica-se às pesquisas sobre gênero nas áreas de História e Literatura, especialmente acerca do feminismo, literatura escrita por mulheres e violência de gênero.

Resumo da conferência

O objetivo é discutir a relação entre gênero e nação a partir principalmente de dois problemas : a) a forma como as mulheres foram pensadas e excluídas no processo de construção das nações modernas no século XIX, tendo como fundamento para tal exclusão a diferença sexual ; e b) a forma como as mulheres, embora excluídas dos direitos de cidadania, participaram do processo de construção nacional, através da escrita literária, produzindo imagens diferenciadas daquelas, mais hegemônicas, presentes nas narrativas masculinas. Contrariamente a uma perspectiva patriarcal que apregoava a domesticação feminina, e restringia as mulheres aos papéis de esposa e mães dos cidadãos que dariam a pátria – não sendo elas mesmas cidadãs –, as escritoras latino-americanas tenderam a construir papéis mais ativos e participativos para as mulheres ao projetar e “imaginar” a nação.

Para desenvolver as problemáticas propostas serão delineados, inicialmente, os conceitos de nação e de gênero ; finaliza com um breve exemplo de como o drama nacional e a questão de gênero foram tratados nos romances de uma escritora e um escritor brasileiros na segunda metade do século XIX.